quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

GTH!

   Lembra como todos os começos são incomparáveis e o quanto nos apegamos neles para nos manter em algo, principalmente quando é a única esperança que nos resta? Eu lembro o tempo todo. É o que me mantem estagnada em casos perdidos. Maldita mania de guardar somente o que é bom e me desfazer do que faz mal. Irônico pensar que estou presa ao que faz mal por jogar as lembranças ruins fora. Irônico ser tão debilmente humana e desejar que tudo volte ao que era, sem mudar nada em mim, sem obrigar mudança alguma. É estranho que eu seja a única que corre atrás em toda situação mesmo sabendo que isso nunca funcionou. Estranho ser sempre quem dá o braço a torcer pra ver tudo bem, quando nunca fui eu quem comecei. Estranho ter todos os argumentos pra mostrar que estou certa e não fazer uso de nenhum pela simples preguiça de ter que explicar meu raciocínio. Malditos humanos que não são capazes de seguir minha linha de pensamento e que saudade das minhas melhores amigas nessas horas, porque elas tem essa capacidade! E só sinto saudades porque não as tenho mais em minha rotina como antes, tudo por um caso perdido e uma atividade remunerada que ocupa a maior parte do meu dia mas paga minhas contas. 
   A pior parte é pensar que eu ainda tenho esperança que você venha e leia isso como prometeu. Eu odeio você! Principalmente por não conseguir lembrar nada de ruim que você tenha feito pra mim, além de me abandonar, que talvez tenha sido a sua pior atitude durante toda a sua vida, na minha opinião.
   Não passa uma noite sem que eu peça pra que você retome sua consciência e perceba que não existe nada que te mantenha afastado.